Oração

EU DEVOREI TUAS PALAVRAS

Segunda-feira – 24/08/2020

OLHAR

Encare as pessoas com este olhar: O nosso reunir-se em assembleia, o próprio ouvir, assim reunidos, a palavra de Deus, é um implícito ato de fé em Cristo, presente nos fieis reunidos em seu nome, presente na proclamação de sua Palavra. É na liturgia que a profissão de fé de Pedro se torna também a nossa profissão de fé, e nós por iss saímos da celebração com um conhecimento sempre mais aprofundado de Cristo e daquilo que Ele espera de nós.

ORAÇÃO

Senhor, vou prostar-me diante do teu santo templo. Celebro teu nome pela tua bondade e pela tua fidelidade: pois tua promessa supera toda fama. Quando Te invoquei, me respondeste, aumentaste em mim a força. Sl 138(137), 2-3.

CONVICÇÃO

“Tu és Pedro” – responde o Senhor ao apóstolo – “e sobre ti edificarei a minha Igreja”. É a investidura eclesial, com a qual Jesus transmite a Pedro os seus mesmos poderes. Uma investidura expressa em termos e em símbolos ricos de significado; a rocha sobre a qual se constrói não apenas uma casa, mas uma cidade; uma cidade com as suas portas; as portas com as suas chaves, e são as chaves do reino dos céus, isto é, do reino que Jesus veio anunciar e construir.

IDENTIDADE

Na celebração litúrgica, enquanto professamos a fé em Cristo, Filho do Deus vivo, cerramos fileiras ao redor do sucessor de Pedro, o Bispo de Roma, ao qual Cristo continua a confiar o seu mandato. Unidos a Cristo e unidos ao Papa, sabemos qual é a nossa identidade de Cristãos, e como a ela se deve conformar a nossa vida. A linda oração deste domingo, com o seu apelo a uma fé ativa e consciente, é a sua síntese significativa: Ó Deus, que unis os corações dos vossos fiéis num só desejo, dai ao vosso povo amar o que ordenais e esperar o que prometeis, para, na instabilidade deste mundo, fixemos os nossos corações onde se encontram as verdadeiras alegrias”.