História

Testemunhos sobre o Fundador

Testemunhos sobre o Fundador

Escrever sobre Frei Eurico não é difícil, afinal o conheci bastante, mas só Deus perscruta os nossos corações e ainda mais de um coração apaixonado por Deus. Porém, temo omitir alguns de seus dons, talentos e virtudes. Oxalá, pudesse não deixar fora nenhum.

Dizer que ele era um homem apaixonado e entusiasta parece pouco, infelizmente não encontramos outras palavras que digam mais. Era sim, um apaixonado pela vida. Vivia intensamente cada momento e amava tudo o que fazia. Amava o trabalho, era professor de teologia e filosofia.

Se dirigia à sala de aula com o mesmo espírito com que se dirigia ao altar para a Celebração da Eucaristia; para ele transmitir o conhecimento aos seus formandos era parte de seu sacerdócio.

Frei Eurico, um sonhador! Sonhava e pedia ao Senhor que lhe desse um exército de almas por Deus.

Sua súplica foi ouvida. O Instituto Franciscano Seara do qual é fundador, nada mais é que fruto de sua oração. Hoje, centenas de pessoas pertencem a esse Instituto de Vida Consagrada a Deus. Não temos dúvidas que o exército de almas apaixonadas por Deus crescerá.

Frei Eurico era músico. Ele cantava e tocava com todo seu fôlego e alma. Ninguém conseguia ficar indiferente ao vê-lo executar, desde a mais simples canção de ninar até a mais complexa sinfonia.
Entendia de artes e com arte fez trabalhos de carpinteiro e pedreiro em nossa Casa de Oração – Eremitério Santa Clara. Cortava lenha, fazia fogo, assava o pinhão e com um martelinho amassava-os deixando prontinhos para serem saboreados por quem fosse chegando.

Com os animais era afetuoso e lhes dava alimento com a mesma alegria e altivez com que subia na sua árvore preferida, para ali mais perto do céu, receber as inspirações para as lições que preparava para a formação espiritual de suas filhas. Amava as flores e queria espalhá-las, por onde passasse e onde houvesse qualquer aparência de escassez da beleza que as flores trazem. E com as crianças? Gastava tempo brincando com elas. Elas lhes falavam da inocência e da simplicidade que devemos conservar em nós. Com os idosos tinha sempre todo o respeito e consideração.

O que mais falar de Frei Eurico? Há! Ele era poeta. Quantos versos fez louvando e exaltando a Santíssima Mãe, o Criador e suas criaturas? Enfim, Ele amava a vida e, amava a Vida Consagrada, acima de tudo. Assim ele dizia: “A Vida Consagrada é uma forma sublime da criatura expressar seu amor a Deus”. Ele a viveu como Sacerdote apaixonado pelo Reino de Deus e por sua expansão e propagação por onde quer que fosse. Falava do amor de Deus e de sua misericórdia com tanto entusiasmo que era impossível se cansar de suas pregações. Nas celebrações Eucarísticas, perdia a noção do tempo e suas homilias se alongavam; falar do Amor de Deus era assunto interminável! Que nós também saibamos transmitir o Amor de Deus! A poesia foi também para ele uma forma de cantar o Amor Infinito.

SÊ BENDITO Ó PAI

Sê bendito, ó Pai, por tudo o que criaste,
E ao homem, rei do mundo, concedeste!
Entretanto, eu te louvo, sobretudo
Bom Pai Celestial, porque me deste
Uma alma e um coração pra te amar!

…Que eu te ame se possível, tento quanto
For capaz uma criatura de te amar,
Tanto quanto tu quiseres que eu te ame,
Tanto quanto pode amar meu coração!

(Frei Eurico 02/10/1961)